sexta-feira, 23 de março de 2012

"da série: Fração de segundos"

Mas não voltou. Ainda que uma pequena dúvida martelasse em sua mente  estava decidida. Fechou a porta e seguiu seu caminho.  Havia muito a ser feito naquele dia. Era uma mulher confiante, metódica não ia se deixar levar por dúvidas, sensações. Depois já conhecia àquela rotina, os longos anos, os hábitos.  Velhos conhecidos. Tudo levava a crer que não se enganara.  

Então, por que esse aperto no peito misturado a essa paz nunca vivida? Alguns passos dados e novamente a sensação de que deveria voltar. Olhou vitrines, pessoas apressadas, crianças brincando no parque, um gato vasculhando o lixo.  Há quanto tempo não se detinha nessas imagens? Sentiu o corpo leve e a brisa da tarde tocar-lhe o rosto, havia perfume no ar. Um quase sorriso formou-se em seus lábios. 

O dia estava diferentemente belo. Sabia-se estranha e ao mesmo tempo pronta para seguir. Foi quando, fração de segundos, a dúvida tornou-se certeza e um único pensamento tomou conta de todo o seu ser: — tinha sim esquecido a panela no fogo. A meio fio o carro, o som, o corpo estendido no chão.

Nenhum comentário: