sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Um olhar poético na prosa de Clarice Lispector


"Sempre tive um profundo senso de aventura, e a palavra profundo está  aí querendo dizer inerente. Este senso de aventura é o que me dá o que tenho de aproximação mais isenta e real em relação a viver e, de cambulhada, a escrever"
Clarice Lispector

Um olhar poético na prosa de Clarice Lispector", título de uma oficina que ministrei em 2003, na Oficina Cultural Grande OTELO, uma emoção, uma honra , um grande aprendizado, pois seus livros oferecem um mergulho no indivíduo - o ser particular. Olhar arguto e sem condescendência, mas carregado de afeto, sobre nossas mazelas, contradições, medos e gestos de amor e grandeza.

O que buscamos na oficina foi captar esse olhar , o momento poético, registrá-lo, vivenciá-lo. Perceber em que medida as personagens de Lispector nos incitam à viver nossa cotidianeidade como homens e mulheres inseridos numa identidade global ainda que únicos, singulares.

E esse ano, na direção da Cia Travessia-  O ato de ler um encontro com o outro - Sarau Lítero -Musical", inseri no projeto um conto de Lispector, "Felicidade Clandestina", interpretado pela atriz Quitéria Maria. Belíssimo momento do espetáculo.

..."Chegando em casa, não comecei a ler. Fingia que não o tinha, só para depois ter o susto de o ter. Horas depois abri-o, li algumas linhas maravilhosas, fechei-o de novo, fui passear pela casa, adiei ainda mais indo comer pão com manteiga, fingi que não sabia onde guardara o livro, achava-o, abria-o por alguns instantes. Criava as mais falsas dificuldades para aquela coisa clandestina que era a felicidade. A felicidade sempre iria ser clandestina para mim. Parece que eu já pressentia. Como demorei! Eu vivia no ar… Havia orgulho e pudor em mim. Eu era uma rainha delicada"
Clarice Lispector
( e eu)
(rs)

2 comentários:

Toninhobira disse...

Muito bom Sueli,este olhar sobre esta magnifica Clarice.Este conto inserido no projeto é fantastico.
Meu abraço carinhoso.
Bju.

sueli aduan disse...

grata, Toninhobira.

Seus comentários são sempre ótimos de uma delicadeza imensa meu amigo e poeta.

abração.