sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

da série: Tenho um amigo que disse que eu


Escapo, feito água, pelos vãos dos dedos. Será que ele pensa que eu quero estar entre os vãos dos dedos de alguém, entrelaçada? Não, penso que não. Ele me conhece pouco, mas conhece, e já percebeu que sou menos líquida e mais rarefeita, solta.
Já um outro amigo disse que não é nada disso, que nem líquida, nem rarefeita, que sou sólida, feito pedra. Desejo de brilho. Na hora, juro que levei um susto. Não imaginava que alguém me visse assim, sempre tive a vaga sensação de que sou vista como um vento forte, desses que traz tempestade, derruba portas e janelas, desnuda todos e tudo, mas que no fim deixa tudo limpo.
Já um outro amigo, desses que enxerga em cada um a natureza toda, disse que eu derramo, não feito água, mas em palavras, e que por isso mesmo não gosto de entrelaçar, ficar presa, que transbordo em versos livres, que não caibo em mim porque sou múltipla.
E eu sorri levemente, mas eis que chega meu amigo, amigo de longa data, conhecedor profundo do que trago no peito, olhando-me fundo nos olhos disse que eu sou líquida na paixão, sólida como uma flor na terra, etérea junto ao corpo amado. Então suas palavras ecoaram na sala, testemunhando o que há muito eu já vivia, a paixão de ser como se é.


4 comentários:

O_Poeta disse...

Boas!

Gostei bastante de ler o seu texto.
Como entusiasta das letras também... gostaria de lhe pedir que visitasse o meu blog! Pode ser que goste... de forma a lhe abrir o apetite, um dos meus poemas lhe deixo:

A chuva cai e molha o rosto
Banha o meu coração em nostalgia!
Depois se escrevo, mostro
O que para mim será poesia.

Digo o que diria sem palavras
Num olhar mais complicado
Mas a chuva dá coisas raras:
Molha a cara, fico acordado!

E então desse alevantamento
Posso erguer a voz para lhe dizer:
Ela é o meu arrebatamento.
Quase a razão do meu viver.

Abraços,
Ricardo

sueli aduan disse...

...Ela é o meu arrebtamento."

Sempre a poesia, Ricardo.
Já estou lá :o)

Obrigada, fico muito feliz que tenha gostado.
abraços.

Katia Mota disse...

Ah Su perdão por demorar tanto. Mas acho que fiz bem em demorar, pois a demora me trouxe no momento exato a esse texto lindo. A imagem de ser líquida que escorre entre os dedos. Lindo isso.
bjão Flor

sueli aduan disse...

Imagine, Katia. Perdoadíssima. rs.

Mas que ótimo!!!!Legal ler um texto que nos toca dessa maneira, brigadaaaaaaaaaa.
bjus.