quarta-feira, 31 de outubro de 2012

da série: Fração de segundos


Era só uma questão, como dizem os economistas, de saber administrar. E sendo assim ela seguiu à risca, mas não se tratava das contas a pagar não. E muito menos de administrar o tempo, como dizem poeticamente  os espiritualistas: - Há um tempo para plantar e outro para colher.  Era somente uma questão de colocar em primeiro lugar seu desejo.

Desejo de viver, de dar vazão a sua sensibilidade frente a um mundo rotineiro em demasia. Por que ,então, essa indecisão se tudo conspirava? Da janela aberta, onde ele a esperava com um risinho maroto, ao vinho sobre a mesa. E foi assim, numa fração de segundos, que ela livre, feito pássaro em seu voo matinal, correu para os beijos daquele que tanto a desejava.


2 comentários:

Toninhobira disse...

Por um segundo, um segundo a mais,todos os desejos colocados na mesa das realizações numa fração de segundos.
Lindo Sueli.
Aplausos pela criatividade.
Meu terno abraço.
Bjo.

sueli aduan disse...

Obrigada meu amigo.

É muito bom saber que gostou,Toninhobira.

E,como sabe,considero-o um poeta/prosador dos bons (bota bom nisso :o)
abração.