sexta-feira, 31 de julho de 2009

CARTAS...

LITERATURA EM FOCO
REVISTA LITERÁRIA ON-LINE
Por Letícia Nogueira
Carta 1.
Mãe, eu não queria ser tão direta, mas num vai ter jeito, o papel no Suriname é caro, muito caro. Mãe, o pai morreu. Foi assim: ele foi ao médico (mãe, no Suriname os médicos se vestem com terno preto e gravata vermelha ) reclamou de dor no peito. O médico deu uma risada, disse assim: “gases, gases”. Mandou ele para casa. Papai riu e disse: “imagina!, ir no médico por causa dum peidos de nada”. O resto a senhora já sabe. Manda um dinheiro, senão num dá para enterrar o pai.
Carta 2.
Mãe, como a senhora não mandou dinheiro, eu tive que enterrar o pai no quintal mesmo. A senhora imagina, mãe, que aqui no Suriname tem um imposto para ser enterrado? Eu perguntei o porquê da taxa; o médico — que mandou o papai peidar em casa — é, também, o prefeito da cidade; ele disse assim: “se vocês pagam imposto para cagar lá no Brasil, por que aqui não podem pagar para morrer no Suri Suri?”
Carta 3.
Mãe, ontem eu acordei o pai estava desenterrado, acho que a cova ficou rasa demais. Tinha dois cachorros comendo o cu do pai, mãe, literalmente. O que aconteceu com a senhora? Às vezes penso que a senhora não gostava muito do pai, e que deve estar rindo com a boca bem aberta, só porque eu disse que um pastor alemão comeu o cu dele. Mãe, manda dinheiro. Ah! O prefeito perguntou se a senhora gosta dum coroa charmoso.
Carta 4.
Mãe, o dinheiro não chegou. Eu falei para o médico/prefeito o que aconteceu. Ele disse que se fosse no Brasil o cu do pai já estaria no osso bem antes dele morrer. Mãe eu quero ir embora daqui. Manda o dinheiro.
No Comments to...“Cartas do Suriname - Cap. I”
Sueli Aduan Your comment is awaiting moderation. wrote on July 31st, 2009
Impressionante como apesar do uso de “algumas palavras”, digamos chulas, a autora consegue estabelecer uma beleza, uma poética.Gostei muito. A tristeza da imagem tem como contraponto um humor “sutil” na maneira como descreve os fatos Critico. Reflexivo.
Parabéns

6 comentários:

Marinês disse...

Interessante !!!

Adriana disse...

Sueli,
EStá bem escrito, e é de uma ironia impressionante.

sueli aduan disse...

é mesmo Marinês!!!! (rs)

sueli aduan disse...

é pelo jeito a ironia é muito forte nos trabalhos dela. Eu gosto muito!!!

Ira Buscacio disse...

Sueli,

Que lurgar "mais bom" de ficar, esse seu.
Adorei o texto. Sempre se pode tirar uma graça da desgraça.
Ah! já ia esqueçendo...esse vídeo da Adriana com a cantora de fados é fantástico.
Boa semana e obrigada pela visita.
Beijão

sueli aduan disse...

OiIra Buscacio,obrigada, tb curto muito 'passear" pelo seu blog.

O texto é muito bom mesmo ( veja outroS dela na 'Literatura em foco'
abs