quinta-feira, 21 de abril de 2011

da série: Tenho um amigo que disse que eu

 
Faço parte desse grupo de pessoas de temperamentos desensofridos, e apesar de ter comentado comigo, em uma outra oportunidade, essa sua teoria me fiz de rogada só pelo prazer em ouvi-lo. Ele, então, não perdeu a oportunidade e entusiasticamente discursou: — Veja bem, cara amiga, há no mundo somente dois tipos de pessoas: — os de temperamentos desensofridos, os quais estão sempre prontos a zombar vão da pilhéria à bofetada com a rapidez de um salto, mas ao mesmo tempo conservam o bom humor; e os de temperamentos sofridos totalmente sem humor, carregam o mundo nas costas.

Já um outro amigo disse que a dor é a condição sine qua non para subirmos os degraus da evolução espiritual, mas que em mim a dor virou pura ventania. Concordei porque gosto mesmo de olhar minhas mazelas não como ventania que gela o corpo, mas feito palito de fósforo aceso. Fogo rápido. Queima somente quando seguramos tempo demais. E aproveitei da oportunidade já que meu amigo, o criador da teoria, me olhava como quem espera uma resposta. Aí não me fiz de rogada, não. E arrematei: — não se chega ao grupo dos desensofridos sem o muito sofrer.

Já um outro amigo com a serenidade dos que sabe que a dor queima feito fogo, mas que também gela feito ventania, trouxe na sua prosa a beleza da poesia e disse que, quer pertença ao grupo dos sofridos ou desensofridos, como eu amanheço e anoiteço no mundo das palavras nada disso importa. Dor, alegria, fogo, ventania tudo vira fantasia. Concordei porque, como ele, acredito no poder da palavra transformando nossas vidas. Ele conhecedor do que vai fundo em mim riu um risinho de quem sabe a dor que provocaria sua partida.

10 comentários:

Toninhobira disse...

Que beleza de reflexão Sueli,bastante interessane este posicionar-se,fico eu aqui pensando em qual grupo me colocar,rsrs.O seu arremate é fantastico e não tem como questionar.Vou por ai tambem.Um terno abraço.

cristina disse...

Excelente reflexão Sueli! Mal nos conhecemos e cá estou vasculhando seu blog...rs. Gostei demais!

sueli aduan disse...

Obrigadaaaaaa, Toninhobira.

Poizé, gosto muito desse refletir, brincar com nossas mazelas, e tb curti muito o final, bão!:o)

Legal pensar em qual grupo... depois me conta kkkk.

terno abraço.

sueli aduan disse...

gratíssima, Cristina.

E, vasculha mesmmo vira e revira.rs A casa é sua!

abraços

Su Palanti disse...

Adorei Sueli! Afinal, quem de nós já não passou pelo desensofrido sofrido, querendo desesperadamente sofrer a desensofrida vida? rsrs
Desculpe, estou meio engraçadinha hoje.
Bjusss

sueli aduan disse...

Que comentário mais deliciosooooo, Su Palanti. E,continua com esse jeito "engraçadinha":0)muito legal.
grata, querida.

Lilian Pool disse...

acho que estou entre os desensofridos, levo a vida num barquinho de papel a deslizar ao som do mar... e por aí vai, não tem lugar para guardar amarguras, então...
bjsss desensofridos...

sueli aduan disse...

"levo a vida num barquinho de papel a deslizar ao..." quiótimo, Lilian Pool.

bjus desensofrida. :o)

Katia Mota disse...

Eu concordo com o seu ultimo amigo... ele é sabido que só...

bjãoo

sueli aduan disse...

Eu também concordo com ele, Katia. E com você: - ele é sabidíssimo. Amigo de longa data e de grande compartilhar sempre sabe o que doe na gente. né?.

bjooo :o)