sexta-feira, 26 de novembro de 2010

da série: Tenho um amigo que disse que eu:


Poderia ficar em casa e tecer um lindo bordado, e depois também poderia fazer um gostoso bolo e depois de um tempo, mais descansada, poderia molhar as plantas, brincar com os gatos, dar banho no cachorro e depois... E depois... Olhei-o no fundo dos olhos buscando entender qual o motivo, se é que existe um, dessas sugestões. Mas nada consegui. Vai ver esse meu amigo tem a capacidade de contrariar a máxima de que os olhos são a janela da alma. Não vi nada de alma nessas sugestões tão estapafúrdias.
Já um outro amigo, estudante de psicologia, desses que gostam  de tudo explicadinho com os pingos nos seus devidos “is”. Veio com essa:  é preciso conciliar os afazeres, diversificar, ser criativo e impostando a voz continuou todo seguro de si, ou seja, entre um bordado e outro, um bolo e outro deve-se visitar um museu, ler um bom livro, assistir um bom filme. Como se não fizéssemos isso e muito mais. Pronto, pensei com meus botões, está aí à chave da felicidade. Diversifica-se e tudo resolvido. Na hora fiquei com uma vontade imensa de sugerir um novo olhar sobre seus conceitos, mas pensei com meus botões: vai que ele se ofenda, e se tem uma coisa que aprendi e respeitar a ignorância alheia, já com a inteligência não precisamos ir com tanta cautela, não. E a boa discussão corre solta.
Já um outro amigo, esse sim, um questionador nato. Disse-me que somos feitos para o encontro, que é só no encontro com o outro que reside à possibilidade de nos conhecermos melhor, de aceitarmos nossos limites, reconhecermos nossas fraquezas, superarmos as nossas mazelas. E que na verdade seja homem, mulher, jovem, velho, criança não gostamos do automatismo no viver, mas que não basta pular de uma coisa para a outra, não. E brincalhão que só ele, sorridente, diz: não é porque descendemos do macaco que basta pular de um galho a outro. E calmo olhando fundo nos meus olhos completa: seres singulares que somos cada qual escolhe seu jeito de caminhar, mas nada sabemos de antemão e aí reside a beleza do viver. Enxergo no seu olhar à janela da alma, na sua voz serena a imensa sabedoria daqueles que sabem que a palavra está dentro de nós,  que somos produtos da linguagem. Linguagem escrita no nosso corpo. Lugar dos nossos desejos.

6 comentários:

Vera das Alterosas disse...

Delícia seus textos e seus amigos Su! Falando aqui baixinho, só pras nós duas... mas gostei dos três kikiki. Ando tão cansada, mas tão cansada, que o idílio bucólico proposto pelo primeiro me agradou por demais. (será que ele pagaria minhas contas enquanto isto? Seria o máximo). O segundo também não esteve de todo mal. Agora o terceiro... que delícia de amigo! Me lembrou a cantiga de Chico, Terezinha. O terceiro chegou chegando.... ô Su, me apresenta estes seus amigos, vai.... Pode dar meu email kikiki. besos

sueli aduan disse...

Obrigadíssima,minha querida, Verôca.Poizé,menina esses meus amigos dão um trabalho, que enquanto não bato um papo não me deixam em paz (rs)

Gosto de todos eles. Mas não se engane não,Verôca. Apesar do nosso cansaço, esse primeiro (só ele)é pura ilusão e colocaríamos pra correr rapidinho;já o segundo levaríamos algumas semanas,(muito marasmo), mas o terceiro, esse, convidaríamos pra ficar...ficar e ficar é...pura alegria de viver.
vamuqvautudumisturadu.

besos

Katia Mota disse...

Ei Flor....Acho que oferecer um olhar diferente sobre as coisas é sempre bem vindo. Aí então saltar de um galho a outro fica muito mais fácil e porque não? Divertido... Bjãooooooo

sueli aduan disse...

Sim, olhares e olhares e olhar.... É flrozinha, mas meu amigo não concorda com essa de saltar de "gallho em galho", não.Ele deconfia das coisas fáceis e só divertidas kkk. beijão.

Carla Wanessa disse...

Pular de galho em galho...rsrsr...Bem, vejo que agora já somos seis, seis amigos que dizem que...álias, Sú, seguindo a idéia de sua amiga Vera, marca um café e quem sabe você e nós seis não sentamos para um encontro, destes que preenchem a alma e quietam o espírito...e nos tiram qualquer tipo de angustia que possa nos fazer buscar em galhos aquilo que está no chão e bem mais perto do que podemos supor.
Beijo grande.
PS 23: ...continuo amando a série!!

sueli aduan disse...

Essa é a Carlinha, grande e profunda questionadora de tudo que nos rodeia,do que vai dentro e do que nos chega de fora...,adorei!!!!

Fico muito feliz que "ame" a série :o)
vamuqvmutudumisturadu.
bjão