quinta-feira, 18 de novembro de 2010

É só um café. Será?

É que foi acontecendo devagar dia após dias, eu mesma no começo não percebi. Sabe quando se bebe água sem muita sede só porque sabemos que é preciso. Bebe-se devagar saboreando cada gole lentamente. É, talvez seja isso. Devagar eu fui saboreando esse cansaço. Cansaço de sair da cama todas as manhãs, cansaço de falar até as coisas mais banais. _ Bom Dia, Lucinha você já trouxe os pães? Ah! Que ótimo. Pão doce? Gosto tanto. Também poderia não dizer nada. Calar-me ou simplesmente dizer: _Lucinha, hoje, teremos convidados para o jantar. Faça algo diferente. E se ela coloca um laxante em meu suco? Ou até algo mais forte só de raiva. Acontece. Só eu para pensar isso. Será? Em algum momento da vida de cada um deve ter ocorrido esse tipo de pensamento. E se eu não for mais agradável com todos. Condescendente, compreensiva, tolerante, amiga, mãe, filha, nora, amante. E se me mandam embora do trabalho, se me evitam, se meus filhos nunca gostaram de mim, se aquela vizinha tão boa, voz tão meiga, é a primeira a falar de mim, e se, e se. A diferença é que comigo isso atingiu proporções absurdas, para cada gesto, cada situação cotidiana um questionamento sem fim. Cansaço das coisas tidas normais. E se eu demonstrasse. Não sorrisse mais ao cumprimentar os colegas no trabalho, não aceitasse os convites, faltasse ao encontro com os amigos, não visitasse aos domingos minha mãe, minha sogra, minha tia, se pouco ligasse se os filhos gostam ou não gostam de mim, se não quisesse mais falar com ninguém. Isolasse-me? Por quê, não? E é no fundo de mim  que esse mistério  do pensar se instalou , me fez sorrir e cada vez mais sólida numa quase demência fecho todas as portas. Vagarosamente bebo meu café.

2 comentários:

Katia Mota disse...

Ei Su quando foi que vc me escreveu? Heim? Quando foi que entrou aqui e descobriu um monte de segredos meus? rs...

Adorei o texto, lindo.... me identifiquei muito....

bjão

sueli aduan disse...

Faz muito tempo(rs)e faz parte do meu texto "Doces Olhares) e tb postei no "Tempus" só os primeiros parágrafos.

É tb gosto muitooooooooooo,e há sim uma grande identificação das pessoas, pude perceber isso quando adpatei p/a o teatro, com a direção da Merlin, e antes com o Marco Antonio,foi belíssima (as duas montagens)