segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Aproveitar o Tempo


Mas o que é o tempo, que eu o aproveite?
Aproveitar o tempo!
Nenhum dia sem linha...
O trabalho honesto e superior...
O trabalho à Virgílio, à Mílton...

Mas é tão difícil ser honesto ou superior!
É tão pouco provável ser Milton ou ser Virgílio!
..................
Aproveitar o tempo!
Meu coração está cansado como mendigo verdadeiro.
Meu cérebro está pronto como um fardo posto ao canto.
Meu canto (verbalismo!) está tal como está e é triste.
Aproveitar o tempo!
Desde que comecei a escrever passaram cinco minutos.
Aproveitei-os ou não?
Se não sei se os aproveitei, que saberei de outros minutos?! 
 ..............

Aproveitar o tempo!
Ah, deixem-me não aproveitar nada!
Nem tempo, nem ser, nem memórias de tempo ou de ser!...
Deixem-me ser uma folha de árvore, titilada por brisa,
A poeira de uma estrada involuntária e sozinha,
O vinco deixado na estrada pelas rodas enquanto não vêm outras,
O pião do garoto, que vai a parar,
E oscila, no mesmo movimento que o da alma,
E cai, como caem os deuses, no chão do Destino.

Álvaro de Campos, in "Poemas" Heterônimo de Fernando Pessoa

5 comentários:

Marinês disse...

Aproveitar o tempo...só pode ser isso......

ler uma coisa...tão bela!!

sueli aduan disse...

...e bem proveitado mesmo rs
bjus

sueli aduan disse...

ops. aproveitado!

Katia Mota disse...

Nem tempo, nem ser, nem memórias de tempo ou de ser!...
Precisa dizer mais? Obrigada

sueli aduan disse...

não precisamos mesmo!