sexta-feira, 20 de novembro de 2009

"Diotima: do corpo do livro ao corpo do mundo"


E dobrando a esquina avistou a casa. Com o coração apertado tocou a campainha. O homem que abriu a porta tinha um olhar cansado quase não o reconheceu. Olharam-se sem nada falar.
Diotima recuperando-se entrou na ampla sala. As dores do passado abrindo caminho: os ciúmes da irmã, a mágoa pelo pai que desde cedo dera lhe a enxada como sina traçada. Tudo ganhando relevo. Tomando conta do espaço numa explosão de culpa, ódio, rancor.
E novamente a voz de Tarsila e suas estórias cheias de significado transformando tudo em volta.
Diotima já não era mais aquela mulher empertigada. Agora percebia o mundo. Compreendia o coração dos homens.
E tudo lhe faltava: o irmão morto, o vaso com tulipas, a cerca pro boi, tia Jacobina, a vida da fazenda.
Experiência singular em que Diotima abraçando o corpo do pai descobre o corpo do livro.

FIM

10 comentários:

dana paulinelli disse...

Oi Sueli,
gostei muito do conto!
Sinto uma influência forte de Guimarães Rosa. Certo ou errado?
Gosto de perceber as influências, falam de nós, do que nos toca a alma, de quem foram as Diotimas, -platônicas mesmo, mais do que sacerdotisas, as contadoras de casos sobre o amor- ao longo de nossas vidas. Mas claro que a minha percepção pode estar equivocada. Digo isso pq o teu texto apresenta, aqui e ali, uma ou outra palavra "roseana", e tb um tom intimista, de quem vai contar um causo, mas um causo de uma alma simples.
O que eu percebo nos teus escritos é a pena de uma "contadora de estórias", a linguagem simples, gostosa, macia, uma certa intenção de "passar uma mensagem", explicar uma tese qualquer por meio de um exemplo encarnado. Acho isso muito bonito!
Qto ao tema da leitura, teu texto me lembrou um exemplo da Simone Weil sobre a questão da leitura.
Diz ela que duas mulheres receberam duas cartas iguais, comunicando a morte dos filhos na guerra, se não me engano, mas a reação das duas foi completamente distinta: uma chorou, emocionou-se, desesperou-se; a outra ficou impassível. Razão: não sabia ler.
Enfim: o mundo é o que lemos e lemos o que queremos.
Parabéns pel conto!
Abraço,
dp

cristinasiqueira disse...

Oi Sueli,

Após o comentário de Dana que esmiuçou em clareza este conto tenho a dizer que gostei.E gostei porque senti.
E no ads tempus fugiti cheguei 2 dias no fim...mas o resultado ficou ótimo.

Beijos,

Boa semana.

Cris

Gian Fabra disse...

excelente conto, li as 3 partes de uma tacada só, pra não perder a próxima linha.


parabéns pelo talento e pelo blog

sueli aduan disse...

Oi Daniela,
Obrigada por esse belo comentário(adorei)e vc percebeu com muita clareza/propriedade(não poderia ser mesmo de outra forma)
Gosto muito do Guimarães e tb a coisa da descoberta através dos símbolos, a impportância da"leitura" do mundo(como o lemos)
Diotima/banquete. Sim,a ideia da tese permeia mesmo todos os meus trabalhos busco esse tom do contador do qual fala Guimarães. TENTATIVAS...tentativas..(rs)
valeuuuuuuuuuuu :o!
bjus

sueli aduan disse...

Oi Cris,que lindo isso "gostei porque senti",me emociona muito saber disso.
OBRIGADA QUERIDA.

bjus
..peninha sobre o Tempus,mas começa uma história. Amanhã a Kátia vai editar a "Seria suficiente" dai é so postar...

sueli aduan disse...

Oi Gian Fabra, obrigada.
Legal isso de ler assim de "uma tacada só pra não..."
Fiquei tão feliz com seus elogios.
Visita sempre.
abraços

Rafael Castellar das Neves disse...

Opa!! Muito boa essa saga, hein? Gostei do pouco que vi, verei melhor ainda....

Abraço,

Rafael

sueli aduan disse...

Oi Rafael Castellar das Neves,

Legal "ler isso", (hum adorei) obrigada.

visita sempre!

Vou ler com calma seus trabalhos
abraços

Marinês disse...

Su...Parabéns que coisa mais linda!!!

é isso mesmo..."corpo do livro"...vida real...ficção...lembrança...assim como Diotima...a gente ama a literatura por isso...tudo é uma coisa só...tudo é uma complexidade só...em paradoxo...tudo é simples demais, belo demais...

e aí..surgem pérolas...como essa sua...

Parabéns mesmo, amei!!!

uma mistura de Aluisio Azevedo com Guimarães e claro a "roupagem e estilo" Sueli Aduan...pode não ser isso, mas, para mim...lembrou algumas das obras deles.......lindoo

sueli aduan disse...

obrigada Marinês!!!!! é tão gostoso quando nossos escritos causam esse efeito (sabe disso né?) Fico feliz com suas colocações, tem sim um pouco(inho) dessa mistura toda,desse maravilhoosos que adoramos.
valeu!!